fotografia de pássaro
Cartaxo comum por Pedro Beja, imagem disponível com a licença CC-BY 4.0.
O PORBIOTA promove o acesso e uso científico dos dados primários de biodiversidade através da catalogação e digitalização a partir de formatos analógicos

A compreensão dos grandes desafios societais no domínio do Ambiente implica abordagens multidisciplinares, que no caso da biosfera exige a integração de informação e conhecimento das diversas componentes, nomeadamente do ambiente atmosférico, marinho e terrestre. São exemplos destes desafios a perda de biodiversidade, as alterações climáticas e seus efeitos na biodiversidade, as espécies invasoras, a alteração do uso do solo e a fragmentação dos habitats. A investigação científica neste domínio necessita de ser suportada por uma infraestrutura de investigação com suficiente capacidade analítica, persistência e estrutura escalável, capaz de abarcar as diferentes escalas temáticas (e.g. diversidade taxonómica, funcional e filogenética), espaciais e temporais das hipóteses testadas.

Os dados de ocorrência e de abundância de espécies, componente essencial para esta capacidade analítica, são resultantes das observações e amostragens da biodiversidade feitas na natureza. Os dados, muitas vezes residentes em colecções de história natural ou em bases de dados de projectos científicos, de estudos de impacto ambiental ou de monitorização da biodiversidade, documentam onde, quando, em que condições ecológicas ou de habitat foram observadas ou colhidas espécies biológicas. Indicam igualmente quem as observou ou colheu, e quem identificou essas espécies. Fica, deste modo, registada de modo exaustivo, a proveniência dos dados, que assegura o rigoroso uso científico da informação.

O PORBIOTA promove o acesso e uso científico dos dados primários de biodiversidade através da catalogação e digitalização a partir de formatos analógicos. Facilita também a  padronização e publicação a partir de bases de dados institucionais, de projectos científicos ou de iniciativas de ciência cidadã. A publicação e acesso dos dados é feita através do Global Biodiversity Information Facility (GBIF), a maior rede global de dados de biodiversidade, adoptando as melhores práticas, ferramentas, protocolos e mecanismos de controlo de qualidade.